sábado, 1 de maio de 2010

A volta.

A volta.
(texto escrito há alguns anos atrás, em momento de aflição).
Vou arrumar a casa, arrumar minha cara, espantar os insetos e as aflições. Um cheiro bom de flores e desinfetante vai anunciar a expectativa de receber você.
A vizinhança, os amigos, o mendigo, o vigia dos carros, todo mundo irá buscar nos guardados as roupas de festa e os melhores sorrisos. Bandeirinhas, faixas, balões e lindos fogos de artifício. Banda de música, toda gente dançando cirandas quase sem tocar o chão.
Nossos cachorros pressentem sua chegada e correm ansiosos por toda a casa.
Ao chegar, vendo tanto festejo, você cumprimentará a todos com sorriso gentil, estenderá sua linda mão a beijos respeitosos, dirá que está com sono, tiau, boa noite, obrigada, e se recolherá a seu quarto que cheira a cera e lustra móveis.
Você dormirá cansada e um pouco sábia, enquanto nosso povo continua a festejar a alegria de rever você.

Um comentário:

  1. É preciso consertar algumas oisas neste texto e não sei como fazer.

    ResponderExcluir